CUIDADOS BÁSICOS COM BEZERRAS

Como você pode dizer, de antemão, que uma vaca vai adoecer? Observando as coisas certas, nos animais certos, no tempo certo. Ao menos duas vezes por semana dedique tempo para avaliar todos os animais, focando nos grupos e períodos de risco, como bezerras e vacas secas.

 

A maioria dos problemas ocorre dentro dos grupos de risco, durante os períodos de risco. Nessas situações, você tem que estar particularmente alerta.

 

As vacas secas e novilhas são exemplos de grupos de risco, já que elas passam por muitos períodos de risco e podem não receber cuidados suficientes quando o produtor está ocupado. Isso é imprudente, dado que a produção futura depende desses animais.

 

Universal ou especifico da fazenda

 

Certos períodos de risco afetam todas as novilhas, enquanto outros se aplicam apenas a certas fazendas. Os períodos de risco que se aplicam a todas as fazendas são fáceis de listar: nascimento, primeiros dias de vida, surtos de doenças nos bezerros, mudanças na dieta, mistura de grupos, certos tipos de clima e mudanças climáticas, um tratador diferente, transporte e muitos outros.

Os períodos de risco específicos de cada fazenda se tornam aparentes ao andar em meio aos animais e discutir estratégias de manejo. Os riscos podem ser evitados se há um bom gerenciamento dos mesmos, e isso irá garantir o sucesso da fazenda.

 

Crescimento e desenvolvimento

 

Observar a curva de crescimento dos animais jovens fornece informações uteis. O crescimento abaixo do esperado aponta para um período de risco. A variação dentro de um grupo de mesma idade pode ocorrer por causa de doença ou em consequência de diferenças na ingestão de alimentos. Os pesos estão abaixo do esperado? Se estão, os animais em questão passaram por um período de pouco crescimento.

 

Associe a medida do crescimento com o escore de condição corporal. Um animal com um perímetro torácico normal, porem não muito gordo, pode ainda estar muito pequeno para ser coberto ou inseminado.

Para a maioria das raças e fazendas, as seguintes regras se aplicam:

  • 45% do peso adulto; inicio da puberdade.
  • 55% do peso adulto; período ideal para cobertura ou inseminação.
  • 85% do peso adulto; peso desejado ao parto.

 

No primeiro ano de vida, os animais são susceptíveis à infecção por paratuberculose. As bezerras não devem ser expostas às fezes de outros animais porque – juntamente com o leite – esta é a maior fonte de infecção. O alimento no choco é menos provavel de se tornar contaminado com fezes que o alimento no chão.

 

Os primeiros dias de vida

 

Os primeiros dias em um piquete são desfiadores para uma bezerra recém-nascida. Assegure-se de que ela receba colostro suficiente: pelo menos cinco litros do primeiro dia, sendo, pelo menos, metade desse total durante as primeiras doze horas. Isso, juntamente com instalações limpas e confortáveis, é a chave para o sucesso durante o primeiro mês de vida. Os sinais a seguir são bons indicadores da qualidade do cuidados com as bezerras recém-nascidas:

  • O numero de casos de diarreia;
  • Taxa de mortalidade (registre a idade);
  • O numero de infecções de umbigo;
  • Crescimento e ingestão de alimentos.

 

Como parte de sua rotina, os compradores de bezerras sempre checam o umbigo. Um umbigo infectado diminui a resistência e pode levar a muitos outros problemas. Essa verificação deve ser feita duas vezes por semana. O cordão deve estar macio, fino e não dolorido.

 

Outros animais são uma fonte de contaminação para a bezerra jovem. Os Bezerreiros MX são uma ótima opção para impedir o contato entre animais. Sua forma construtiva facilita a limpeza e sua usabilidade se torna prática e segura. Todas as partes devem ser limpas com frequência. Use utensílios apropriados e comece sempre da mais nova para a mais velha. Pode-se usar palha limpa para forrar o piso do bezerreiro, porém, deve ser trocada para não acumular dejetos.

 

Durante os períodos de risco, você deve tentar minimizar as consequências para os animais. Uma maneira de conseguir isso é fazer as mudanças gradualmente e não combina-las, como a desmama e a mudança de piquetes; ao invés disso, faça-as separadamente.

 

A primeira mudança para uma bezerra, geralmente, envolve a saída de um piquete individual para um coletivo. Depois da desmama, ocorre, obviamente, uma mudança crucial na vida da bezerra: não há mais leite. Desse ponto em diante, a bezerra será mudada de local regularmente e haverá muitas alterações na dieta; cada uma trazendo um risco.

ultimas publicações
Retornar

entre em contato

SC 492, KM 17 - Tigrinhos - SC - CEP 89875-000
Tel.: +55 49 3664-4035

Fale

Conosco

Informações? Dúvidas? Sugestões? Fale com a MX do Brasil.

TEL.: +55 49 3664-4035

Siga a

MX do Brasil